Cães medrosos – O que fazer para ganhar a confiança deles?

24 Comentários

Há muitos casos de cães que são medrosos e arredios. Se você conhece ou tem um assim, é importante entender o motivo e saber como melhorar esse comportamento.
Cães com menos de três meses, geralmente ficam dentro de casa até que tomem todas as vacinas e, a partir daí, começam a socializar com outros animais e pessoas. Essa fase é muito importante e é chamada de “janela da sociabilização” – período em que o cão precisa ser apresentado ao mundo, entrar em contato com pessoas e outros animais, desde que sejam saudáveis. Nessa fase, o cão aprende a conviver e já sabe do que tem medo e do que não tem.

Mas, como muitos cães ficam “isolados” nesse período, o convívio com pessoas ou outros animais se torna raro e se isso não for proporcionado por seus tutores, mesmo após essa fase, eles podem se tornaranimais medrosos.

Outros casos muito comuns são de cães que foram abandonados na rua ou maltratados. Eles conviveram com diversos tipos de pessoas e situações e, muitas vezes sofreram violência física, receberam ameaças de pessoas (o que os assusta muito), e muito raramente receberam carinho.   Por isso, esses cães se tornam ariscos, ficam sempre na defensiva e morrem de medo de gente. A consequência  é que eles ficam agressivos e vivem desconfiados das pessoas que os cercam, se afastando ou fugindo sempre que houver alguma tentativa de contato. Se você adotou ou pretende adotar um cãozinho, fique atento aos sinais de medo e saiba como amenizar o problema.

Quais os sinais que o cachorro dá quando está com medo?

Os cães podem demonstrar medo e insegurança de diversas formas, como se encolhendo ou partindo para a agressividade. Mas, no geral, os sinais são:

- Respiração agitada;
- Afastamento;
- Postura encurvada;
- Ficar encolhido;
- Mostrar os dentes;
- Rabo entre as pernas;
- Tremer;
- Rosnar;
- Latir de forma agressiva;
- Fugir.

O que fazer para amenizar esse comportamento?

Antes de mais nada, você precisa acostumar seu cão a entrar em contato com outras pessoas e animais. Ele precisa socializar, brincar, cheirar, conhecer, etc.
Outra dica: você precisa mostrar a ele que está ali para protegê-lo, que ele tem um líder que não o deixa inseguro e que estará ao seu lado para defendê-lo do perigo, mas que nem sempre tudo é perigoso. Então mantenha-se firme e mostre a ele que existem pessoas com boas intenções e que ele pode relaxar, mas nunca trate-o como um bebê ou mime demais, seja firme e realista.

Se uma pessoa desconhecida se aproximar dele e ele apresentar sinais de medo, acalme-o, faça carinho, deixe que ele cheire a pessoa e peça à ela que não chegue chegando, sabe? Que não se aproxime bruscamente, já querendo pegar o cão no colo ou fazendo carinho. Que ela chegue com calma, dando a mão para ele cheirar e só quando ele mostrar segurança, ela poderá acariciá-lo.
Outra coisa importante é que essa pessoa, ou você, dê petiscos para o cão no momento de sociabilização para que ele entenda que isso é algo bom e não perigoso.

Ao longo do tempo, fazendo esse exercício, seu cão pode melhorar muito, se tornar mais confiante e ter muito mais qualidade de vida. O necessário é que você tenha muita paciência e firmeza para educá-lo e fazer com que ele se sinta seguro na presença de terceiros que são de sua confiança.

,

24 Comentários

  • Sandra disse:

    Adotei uma cachorra a qual batizamos por Mila…ela tem aproximadamente uns três anos e teve uma perna amputada….faz um mês que estou com ela….minha preocupação e o lado que não aparenta nenhum sinal de socialização basta alguém chegar perto o tremor é tanto que até preocupa…Será que demora…Será que o trauma foi tanto…? Mila era de rua uma ong a recolheu cuidou e hoje esta comigo….tenho mais animais…espero conquista-la ainda….

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Olá, Sandra.
      Admiramos muito você por cuidar da Mila. Sabemos que não é um trabalho fácil, mas que é algo totalmente recompensador.
      O que aparenta, é que esse comportamento é uma das consequências das experiências passadas que ela teve. O melhor caminho para encontrarmos uma solução, é consultar um especialista em comportamento animal para uma diagnóstico correto da situação. Dessa forma, ele irá apontar a melhor de ressocializar a Mila para que ela permaneça feliz e saudável.
      Desejamos muita sorte!

  • elaine disse:

    peguei um cachorro na rua e ele não se sentiu muito seguro comigo.Mas sim com a minha filha o que devo fazer para ganhar a confiança dele?

  • Daniel disse:

    Boa noite!

    Bem, ontem olhei da minha janela e vi um cachorrinho tipo border collie deitado e acoado perto do muro. Fui e vi que as fezes estavam mole e suspeitei de desidratação. Dei água, e mesmo arredio ele bebeu bastante depois que eu dei um passo atrás e agachei. Foi amor à primeira vista, corri num petshop e pedi orientação. Eu ia comprar mas me deram 3 amostras de ração para filhotes da Naturalis! O cachorrinho amou a ração! Eu fiz questão de dar na palma da minha mão e ele comeu e lambeu minha mão. Em todo o tempo se afastava quando notava que eu queria acariciar a cabeça os as costas dele. Depois de umas horas voltei e consegui fazer carinho nele. Ele ficou estático, petrificado se forçando contra a parede enquanto recebia carinho, rabo entre as pernas e orelhas coladas para trás. No dia seguinte (hoje) logo de manhã alimentei-o de novo com ração de primeira qualidade e água. Ele gostou muito e com a ajuda da vizinha levantei-o e vimos que se tratava de uma macho, o pênis ainda é muito pequeno e quase não tem saco escrotal ainda, presumi que se trata de um filhote, apesar de seus 11 kg (pesei posteriormente). Depois que vi ser um filhote grandinho tomei coragem e peguei no colo e levei pro carro pra ir ao veterinário. Ele fez xixi na hora que o peguei. Tomou banho e dei remédio de verme, vai ser vacinado em breve. Apesar de parecer estar ganhando confiança ele se mostra extremamente arredio, apavorado e em busca de refúgio! Se assusta com movimentos bruscos e se desespera quando nota qualquer movimentação humana sem aviso, se debate como se fosse morrer quando se vê sem saída e olha para trás como se estivesse sendo perseguido, não anda na coleira, nunca me segue e só anda para frente se eu estiver atrás. Se for tentar puxá-lo ele só vem arrastado. Como pode um filhote tão novo ter tanto pavor por pessoas? Maus tratos antes de se abandonado? O nome dele é zorro porque ele parece que usa uma máscara é preto e branco. Não sei se um dia ele vai ficar elétrico, alegre, interativo, sagaz pq olhando ele hoje parece que vai ser aquele tipo que não interage nem nada. Estou pensando em colocar com treinadores de cães aproveitando que ele parece ser muito novinho. Será que ele vai se recuperar? Abraço.

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Olá, Daniel. Bom dia, tudo bem?

      Parabéns pela sua atitude! Ficamos muito felizes em saber que existem pessoas caridosas e atenciosas como você.
      É fundamental que exista bondade em relação aos animais, no coração das pessoas!
      Infelizmente, o mundo está cheio de pessoas que maltratam e abandonam esses animais. Essas pessoas não sabem o mal que estão fazendo para eles.

      É muito importante que você continue observando o comportamento do seu cachorro. Veja o que lhe causa medo. Se ele se encolhe ao ver uma vassoura ou um rodo, ele pode ter apanhado muito com esses objetos. Nesse caso, é bom prestar atenção se algum estímulo específico causou esse comportamento. Tente assegurá-lo que tudo está bem chamando-o para fora com uma voz mais carinhosa e dando bastante atenção e carinho. Não force o cachorro quando ele estiver com medo, ele pode reagir de forma agressiva.
      Observe e analise o corpo dele, passe a mão e veja se encontra algum sinal de agressão física.
      O segredo é carinho e paciência. Mostre que ele pode confiar em você. Chame-o com carinho e não demonstre agressividade na voz. Procure não fazer movimentos bruscos perto dele.
      Tudo tem seu tempo. Esperamos que seu cachorro supere o medo, para isso, ele vai precisar muito de você!

      Qualquer coisa, estamos aqui.
      Conte com a gente!

  • Mônica disse:

    Bom dia!
    Preciso de ajuda urgente…pois comprei um husky siberiano de 5 meses,muito medroso,não interagi com os meus filhos pequenos nem comigo,não anda na coleira fica estatico,se tento me aproximar ele recua e logo procura se esconder,passa o dia inteiro escondido debaixo da cama…hj faz 3 dias que ele estar comigo…O QUE FAÇO??? Quanto tempo é necessário para ele confiar em nós?,(já que nem eu nem meus filhos não samos agressivo com ele.)

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Olá!
      Sempre há um motivo por trás do medo dos cãozinhos.
      Alguns cães que são vítimas de maus-tratos acabam ficando medrosos e recuando do carinho de seus futuros donos.
      Antes de mais nada, você precisa acostumar seu cão a entrar em contato com outras pessoas e animais. Ele precisa socializar, brincar, cheirar, conhecer, etc.
      O ideal é ter paciência e não forçar o cãozinho, ele vai ganhar a sua confiança com o tempo.
      Se o comportamento dele não mudar e te frustrar, recomendamos que procure um profissional de comportamento canil, ele saberá te auxiliar da melhor maneira.

      Conte com a gente!

  • Larissa Mendes disse:

    Ola! Fazem 4 meses que peguei um cachorro, o Zorro!
    Vi para adocao e foi amor a primeirs vista… Quando ele chegou aqui em casa estava com seus tres meses… Ficou um bom tempo acanhado com o rabinho entre as pernas e tremia e babava bastante, porem ao longo do dia ele foi se soltando e interagindo com meu marido e eu e logo no dia seguinte ja estava disposto. Percebi que ele nao gostava de caricias e infelizmente é assim ate hoje, é so tentarmos fazer carinho e ele se afasta ou na maioria daz vezes fica nos mordendo… Cheguei a comentat com meu marido sobre a hipotese de o zorro ter sofrido maus tratos no seu antigo lar, pois quando o peguei ele estava magro e muito sujo e o que me cortou o coracao foi o olhar triste que tinha… Gostaria muito que ele nao tivesse medo de nos. Será que tem alguma forma de amezinar isso, para que ele aceite nossas caricias??

    Beijos!!

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Olá, Larissa!
      É possível que ele tenha sofrido maus tratos, sim. E isso pode ter desencadeado um trauma e um certo medo do comportamento humano.
      Ao longo do tempo, fazendo esse exercício, seu cão pode melhorar muito, se tornar mais confiante e ter muito mais qualidade de vida. O necessário é que você tenha muita paciência e firmeza para educá-lo e fazer com que ele se sinta seguro na presença de terceiros que são de sua confiança.
      Se o comportamento do seu cãozinho te frustar, a ajuda de um especialista em comportamento animal, irá ajudar muito!

  • Boa noite, ganhei uma cadela da raça pastor suíço, muito bonita porém medrosa, medo que penso ser generalizado, se ela escuta um latido de um cão na rua, corre desesperada, se alguém estranho, ou até eu mesmo as vezes, chegue perto dela, ela também corre pra se esconder, chamo ela, tento brincar, mas ela nem se move, tento passear com ela, mas dá mesma forma ela não se move, coloco coleira tento, mas ela nem se levanta aí não forço, tenho outros dois cachorros, o que então estão me ajudando nessa socialização dela, pois com eles ela se solta, brinca, se diverte, o que me deixa em dúvida é que no primeiro dia que ela veio pra cá, ela já brincou com estes naturalmente, porém qualquer um outro que apareceu aqui ela estranhou é estranha, gostaria de saber de vocês, se tem alguma dica pra me ajudar com ela, tenho medo até de ela ficar doente, se possível me ajudem… Desde já agradeço.

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Boa tarde, antes de mais nada, você precisa acostumar seu cão a entrar em contato com outras pessoas e animais. Ele precisa socializar, brincar, cheirar, conhecer, etc.

      Se uma pessoa desconhecida se aproximar dele e ele apresentar sinais de medo, acalme-o, faça carinho, deixe que ele cheire a pessoa e peça à ela que não chegue chegando, sabe? Que não se aproxime bruscamente, já querendo pegar o cão no colo ou fazendo carinho. Que ela chegue com calma, dando a mão para ele cheirar e só quando ele mostrar segurança, ela poderá acariciá-lo.
      Outra coisa importante é que essa pessoa, ou você, dê petiscos para o cão no momento de sociabilização para que ele entenda que isso é algo bom e não perigoso.

      Ao longo do tempo, fazendo esse exercício, seu cão pode melhorar muito, se tornar mais confiante e ter muito mais qualidade de vida. O necessário é que você tenha muita paciência e firmeza para educá-lo e fazer com que ele se sinta seguro na presença de terceiros que são de sua confiança.

      Se o comportamento assustado dela te frustrar muito e se você não notar nenhuma evolução com o passar do tempo, recomendamos que procure um especialista em comportamento canino, ele saberá te ajudar da melhor maneira!

  • Francieli disse:

    Boa noite, adorei uma cachorrinha de um abrigo, ela tem 9 meses, lá era bem apegada aos cuidadores, no primeiro dia em casa ela estava com medo, mas aos poucos foi se soltando e eu conseguia fazer carinho nela normalmente, mas no dia seguinte ela estava totalmente assustada, tremia quando eu chegava perto, ficou procurando esconderijos o dia todo, quando eu ia fazer carinho ela fica abanado o rabo como se estivesse gostando, mas ao mesmo tempo ela chora, gostaria que ela confiasse em mim, o que devo fazer?

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Antes de mais nada, você precisa acostumar sua cachorrinha a entrar em contato com outras pessoas e animais. Ela precisa socializar, brincar, cheirar, conhecer, etc.
      Outra dica: você precisa mostrar a ela que está ali para protegê-la, que ela tem um líder que não o deixa insegura e que estará ao seu lado para defendê-la do perigo, mas que nem sempre tudo é perigoso.

      Outra coisa importante é que você, dê petiscos para ela no momento de sociabilização para que ela entenda que isso é algo bom e não perigoso.

      O necessário é que você tenha muita paciência e firmeza para educá-la e fazer com que ela se sinta segura na presença de terceiros que são de sua confiança.

      A ajuda de um especialista em comportamento canino é sempre bem-vinda.
      Qualquer outra dúvida, pode contar com a gente!

  • Cinthia disse:

    Bom dia!
    Tenho uma shiba de 4 anos ela veio com 45 dias acho que perdeu a oportunidade de aprender com os irmãos. Ela é muito arisca basicamente só pego nela quando ela deixa ou a pego desprevenida para fazer carinho ou para dar o antipulga por exemplo. A Kiba não gosta de passear na ruas as vezes levo ela vai praticamente o tempo todo de cabeça abaixada mas muito atenta a qualquer barulho e logo fica tentando voltar para o caminho de casa (rabo a maior parte do tempo sempre para cima, confiante) não deixa pessoas chegarem perto dela (mostra os dentes) e cães ela não cheira e não deixa chegarem perto dela. Quando chegamos em casa ela fica muito feliz corre e pula e brinca bastante até cansar.
    Tenho o Baru de 2 anos peguei pensando que ela aprenderia a ter um amigo mas não aconteu ela é Alpha manda nele briga tipo mãe, tem ciumes e as vezes brinca com ele. ( mas se ele estiver em apuros ela é primeira a correr para ver como ele esta).
    Preciso de ajuda para ela confiar mais em mim e me obdecer também. Sempre que ela quer sujir vai para baixo da mesa onde não consigo pegar.

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Antes de mais nada, você precisa acostumar ela a entrar em contato com outras pessoas e animais. Ela precisa socializar, brincar, cheirar, conhecer, etc.
      Outra dica: você precisa mostrar a ela que está ali para protegê-lo, que ela tem um líder que não o deixa insegura e que estará ao seu lado para defendê-la do perigo, mas que nem sempre tudo é perigoso. Então mantenha-se firme e mostre a ela que existem pessoas com boas intenções e que ela pode relaxar, mas nunca trate-a como um bebê ou mime demais, seja firme e realista.

      Se uma pessoa desconhecida se aproximar dela e ela apresentar sinais de medo, acalme-a, faça carinho, deixe que ela cheire a pessoa e peça à ela que não chegue chegando, sabe?

      Outra coisa importante é que essa pessoa, ou você, dê petiscos para ela no momento de sociabilização para que ela entenda que isso é algo bom e não perigoso.

      O necessário é que você tenha muita paciência e firmeza para educá-la e fazer com que ela se sinta segura na presença de terceiros que são de sua confiança.

      A ajuda de um especialista em comportamento canino é sempre bem-vinda.
      Qualquer outra dúvida, pode contar com a gente!

  • Lais disse:

    Olá,

    Faz menos de uma semana que adotei uma cachorrinha chamada Bolinha. Ela é extremamente medrosa. Quando menor, jogaram água quente nela e hoje é bem traumatizada e a adotei justamente no intuito de dar uma vida melhor pra ela.
    Tenho muito medo de que ela não se acostume, ela boceja demais e só sai do canto dela quando não tem ninguém por perto. Passa o dia todo deitada para um filhote de apenas 7 meses.
    Ontem mesmo quando fui vê-la, ela tinha salivado muito em cima da sua caminha, tanto que tivemos que lavar.
    Comprei alguns brinquedinhos, mas ela tem medo de todos. Ela ama petiscos, mas sempre tem medo de pega-los.
    Nos primeiros dias ela tremia demais, mas agora já parou.
    Fico com medo de que ela não se adapte logo.
    Tenho medo que ela fique doente ou algo do tipo…

    Tem alguma dica?

    Obrigada desde já.

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Fique tranquila, faz pouco tempo que você a adotou, com o tempo ela vai ganhar a sua confiança.
      Vamos te dar algumas dicas, tudo bem?

      Antes de mais nada, você precisa acostumar seu pet a entrar em contato com outras pessoas e animais. Ela precisa socializar, brincar, cheirar, conhecer, etc.
      Outra dica: você precisa mostrar a ela que está ali para protegê-la, que ela tem um líder que não o deixa insegura e que estará ao seu lado para defendê-la do perigo, mas que nem sempre tudo é perigoso.

      Se uma pessoa desconhecida se aproximar dele e ele apresentar sinais de medo, acalme-o, faça carinho, deixe que ele cheire a pessoa e peça à ela que não chegue chegando, sabe?

      Ao longo do tempo, fazendo esse exercício, ela pode melhorar muito, se tornar mais confiante e ter muito mais qualidade de vida.

  • Bom dia. Eu tenho um canil que fica vazio porque meus 2 cães não gostam de ficar lá. Preferem as caminhas nas varandas, ou até minha cama. Como já trabalhei em hospital como atendente de enfermagem, tenho alguma prática em cuidados. Como canil não era usado estou usando-o para fazer recuperação de castrados ou para tratar algum tipo de ferimento ou bicheiras. Ocorre que tem mais de um mês uma amiga trouxe uma cachorra de rua e percebe-se nitidamente que é pastor alemão. Ela de início ficava tremendo muito quando qualquer pessoa se aproximava. Com muito carinho estou tentando socializar ela, mas está super difícil. Percebo que ela confia em mim, mas não se aproxima. Procuro fazer carinhos nos meus aí ela vem e eu a chamo estendendo a mão. Ela vem, dá uma lambidinha na mão e depois sai correndo. O canil é o local onde ela se sente segura. Quando ela me vê, sai correndo para o canil. Ela não entra em casa de jeito nenhum. Fica nas varandas e mesmo ela deitada e relaxada quando passo ela se levanta. Converso com ela e é o suficiente para ela sair correndo. Ela se esgueira por aí. Quando estou dentro de casa e ela lá fora com os meus, percebo que ela até late junto com Bruce e Gaia, mas basta ela perceber que estou observando, ela foge. Outro dia cometi um erro que não sei como reverter. Achei uma bolinha bem maciça que era dos meus doberman que já faleceram e larguei a bolinha perto dela e ela pegou a bola. Fiquei feliz e tentei brincar com ela dizendo “eu vou pegar esta bolinha”, a pobre largou a bolinha e nunca mais tocou nela. Estou pensando que não posso colocar ela na feira de adoção, porque bem ou mal, ela está confiando em mim. Assim que a recebi aqui em casa pensei, vai ser fácil doar ela, porque é uma pastora linda. Mas se eu a doar para outra pessoa, que não sei se tem tanta paciência para socializar ela, aí vai perder a pouca confiança que ela adquiriu até agora. Acho que vou ficar com ela. Tento colocar ela na corrente para andar com ela um pouco e ela se joga no chão e não anda. Por favor, alguém aí poderia me dar umas orientações de como acabar com este medo? Dei o nome de Atena para ela, pois ela quando em pé, parece tão altiva.

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Olá, Natalia!

      Admiramos muito você por cuidar da Atena. Sabemos que não é um trabalho fácil, mas que é algo totalmente recompensador. O mundo seria um lugar muito melhor, se todos tivessem coração bom como o seu.

      O que aparenta, é que esse comportamento é uma das consequências das experiências passadas que ela teve. Pois se ela sofreu maus-tratos, isso pode ter desencadeado algum trauma. O melhor caminho para encontrarmos uma solução, é consultar um especialista em comportamento animal para uma diagnóstico correto da situação. Dessa forma, ele irá apontar a melhor de ressocializar a Atena para que ela permaneça feliz e saudável.

      Ah, e tenha paciência e persistência, que com o tempo, ela irá ganhando sua confiança.

      Desejamos muita sorte!

  • Victoria disse:

    Ganhei uma cachorrinha ela tem 1 ano mais peguei ela a 2 dias, mas estou preocupa pois ela não quer comer nem tomar agua e tem nuito medo.
    Ela era de quintal fechado não via nada nem ninguem , agora não sei o que posso fazer pra ela confiat em mim e comer ja dei todos os tipos de ração.

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Victoria, é comum que ela estranhe logo de início. Veja qual era a alimentação anterior dela, oferecendo o mesmo alimento e mudando gradativamente para Naturalis pode facilitar o processo de adaptação. Mostre que ela pode confiar em você, com paciência e dedicação você vai ganhar a confiança dela. Desejamos sorte!

  • Alessandro disse:

    Boa noite adotei uma pitbull ela tem 4 meses ela sofria maus tratos e violencia física estou com ela 5 dias ela tem medo de tudo sempre de rabo entre as pernas noa olha as pessoas nos olhos sempre vira o rosto quando VC olha pra ela dificilmente ela se aproxima só com muita insistência e se VC forçar uma aproximação ela recua e se esconde ..preciso de dicas por favor

    • Naturalis - Total Alimentos disse:

      Olá, Alessandro!
      Parabéns pela atitude, a adoção é um ato lindo!
      Como consequência dos maus tratos que sofreu, é normal que ela tenha medo da aproximação de pessoas.
      Dedique-se em fazer com que ela confie em você, se aproxime sempre, faça carinho, brinque até que ela demonstre estar relaxada com sua presença, assim, quando alguém estranho tentar se aproximar, será mais fácil de você fazer com que ela entenda que está tudo bem, que não vão fazer mal a ela.
      O processo para que sua companheira se sinta mais tranquila com a aproximação de pessoas, exige tempo e persistência. Não desista.

      Abraço.

Deixe uma resposta para Mônica Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>